ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Ônibus de Lauro de Freitas podem deixar de rodar na Orla de Salvador

Ônibus de Lauro de Freitas e outras Regiões metropolitanas podem deixar de rodar na Orla de Salvador



Ônibus de Lauro de Freitas… Para que a integração do sistema de transporte metropolitano com o urbano fosse possível, uma série de acordos e ajustes foram necessários – e ainda estão em trâmite. Uma das alterações discutidas foi a interrupção da circulação dos ônibus metropolitanos em Salvador através da substituição pelo metrô, na Avenida Paralela, e por ônibus urbanos, na orla da cidade.
Em uma reunião realizada nesta terça-feira (10) pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), foi definido que as alterações na orla da cidade não serão realizadas imediatamente. O acordado no Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) previa que os ônibus oriundos da Região Metropolitana de Salvador (RMS) seriam retirados da orla da capital e seriam substituídos por ônibus urbanos.
Com o acordo da reunião, o trajeto apenas será assumido por ônibus urbanos após a conclusão dos estudos sobre o valor da tarifa definitiva da integração.
A reunião foi realizada na sede do órgão, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), com representantes do Estado; dos municípios de Salvador, Camaçari, Lauro de Freitas e Simões Filho; da Associação das Empresas de Transporte de Salvador (Integra); do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários da Região Metropolitana (Sindimetro) e dos empresários de transporte rodoviário metropolitano.
Posição do sindicato dos rodoviários metropolitanos
Em reunião na tarde da última terça-feira (10), na sede do ministério público do trabalho entre representantes do governo do estado, prefeituras, e dos sindicatos da região metropolitana ficou definido que até a próxima reunião que acontecerá na quinta-feira (19), no terminal turístico de Lauro de Freitas em Portão, nenhuma linha será excluída, nenhum rodoviário será demitido e nenhum ônibus que passa pela orla terá seu roteiro alterado.
O Sindmetro ainda afirmou ser contra a integração nos moldes que está sendo realizado. “Nós não vamos aceitar, e não é apenas pela demissão em massa. A tarifa da passagem não é suficiente para manter o transporte dos metropolitanos. Com a meia passagem, por exemplo, os metropolitanos ficam com apenas R$ 0,75 dos estudantes que pagam meia. Isso não dá para segurar uma frota. Os empresários estão ameaçando fazer demissões”, protestou.

Fonte: Lauro News Online

Nenhum comentário