ÚLTIMAS NOTÍCIAS

SE LIGUE: 75% dos jovens de Salvador têm HPV; Veja a importância de se prevenir no Carnaval

Aratu Online

Foto: Ilustrativa
O ambiente na avenida é envolvente. A música, a cerveja gelada, a galera fantasiada suando em busca de um amor de Carnaval intensificam as chances de terminar a noite acompanhado. A falta de prevenção no início da vida sexual é um dos principais motivos que leva os organismos competentes a reforçarem as campanhas de prevenção a doenças sexualmente transmissíveis no período da festa que, para este ano, tem a previsão de receber 770 mil turistas que serão embalados por mais de mil horas de agitação nos sete circuitos oficiais.
Em meio a esse clima de alegria e transpiração, Salvador apresenta números preocupantes em relação à população de jovens entre 16 e 25 anos infectados pelo HPV (papilomavírus humano). Os dados apontam que a capital baiana apresenta a maior incidência da doença no Brasil, com 71,9% dos resultados dos exames positivos, sendo que a média nacional é de 54,6%.
FIQUE SABENDO
A energia sexual que envolve eventos com essa proporção e tamanho aumentam a predisposição a comportamentos de risco, porque muitos foliões abrem mão dos cuidados ao praticar sexo sem camisinha e compartilhar objetos pessoais com desconhecidos.
Com o objetivo de conscientizar aqueles que vão aos circuitos, Salvador disponibilizará quatro postos de detecção de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) neste ano. Durante o atendimento, equipes multidisciplinares estarão disponíveis para dar continuidade ao tratamento e suporte ao paciente, caso exista confirmação de alguma das doenças durante o processo.
Os postos do Fique Sabendo vão oferecer testes para detecção do vírus HIV, sífilis e de doenças como as hepatites B e C. Os locais serão o Farol da Barra, com grande socialização de jovens, o Multicentro de Saúde da Avenida Carlos Gomes, na Avenida Adhemar de Barros, em Ondina, e na Avenida Centenário, na Barra. Para este ano, outra novidade anunciada pela Secretaria da Saúde do Estado é a montagem de um posto de testagem rápida na Passarela do Descobrimento, em Porto Seguro.
“Estamos trabalhando com o foco ‘testou e tratou’ que é um forma atual de trabalho. Antigamente, para o HIV, esperavam a pessoa adoecer para iniciar o tratamento. Hoje testamos, e se der positivo para o vírus, já iniciamos o tratamento imediatamente e encaminhamos o paciente para uma unidade”, ressalta a diretora da Vigilância Epidemiológica da Sesab (Divep), Maria Aparecida Araújo.
A Secretaria de Saúde do Município irá atuar também com medidas preventivas pós-Carnaval para pessoas que, durante o período, foram expostas a situações de risco ao HIV. Pessoas que tiveram relações sexuais sem camisinha, vítimas de violência sexual e de acidentes ocupacionais terão atendimentos prioritários em quatro Unidades de Pronto Atendimento (UPA) em Salvador (Barris, Valéria, Periperi e Boca do Rio).
CAMISINHA 
Para prevenção do HPV e de outras DST’s, a Secretaria Municipal de Saúde irá intensificar as ações com balcões de atendimento e equipes nas ruas que irão distribuir e aconselhar os foliões em relação a medidas de prevenção e sexo seguro com distribuição de preservativos e materiais informativos.
“Quando estamos fazendo campanhas de prevenções de HIV também estamos promovendo a prevenção para as outras doenças sexualmente transmissíveis, inclusive o HPV. O que faremos a mais na campanha deste ano é disponibilizar em maior número o preservativo feminino, que tem uma proteção importante para as mulheres”, pontuou Helena Lima, chefia do Setor de IST/Aids/Hepatites Virais da SMS.

Nenhum comentário