ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Superlua, lua de sangue e lua azul ocorrem nesta quarta; confira onde e como observar

Apenas a superlua poderá ser bem visualizada no Brasil. Lua de sangue e lua azul ocorrerão simultaneamente


O último dia de janeiro terá três fenômenos lunares acontecendo simultaneamente. Na próxima quarta-feira, 31, algumas regiões do mundo poderão presenciar a superlua, a lua de sangue e a lua azul. No Brasil, no entanto, apenas o primeiro será visível, salvo em locais do extremo norte no Acre e no Amazonas, onde a lua de sangue poderá ser vista ao se pôr. A melhor visualização desse fenômeno será no oeste da América do Norte, passando pelo Oceano Pacífico até o leste do continente asiático. 

“A superlua acontece constantemente, a combinação com outros fenômenos é que é rara”, explica o professor de astrofísica da Universidade Federal do Ceará (UFC) Daniel Bastos. Segundo ele, mesmo a visualização deste tipo de lua em Fortaleza pode ser prejudicada pelas nuvens. Ele indica locais altos e sem malha grande de edifícios para a melhor observação, como o mirante do Mucuripe. O especialista afirma que o fenômeno se mostra mais bonito ao nascer da lua, entre as 17h30min e 18 horas. 

A superlua acontece devido à órbita elíptica da lua em torno da Terra. Como o satélite não fazer uma volta circular, em alguns momentos,ele se encontra mais perto ou mais distante do planeta (os chamados apogeu e epigeu, respectivamente). Quando a lua se encontra em epigeu, ela se mostra maior e mais brilhante para quem a observa da Terra, ganhando esse nome. A primeira superlua de 2018 pôde ser vista já no dia 1º. 

A lua azul se dá quando duas luas cheias acontecem em um mesmo mês, não sendo um fenômeno propriamente astronômico. Na verdade, ela se dá devido a uma diferença entre o calendário gregoriano e o calendário lunar, já que os meses geralmente tem 30 ou 31 dias e o ciclo da lua dura apenas 29,5. 

A lua de sangue já é um fenômeno mais raro, que se dá quando acontece um eclipse total da lua, ou seja, quando a Terra fica exatamente entre o sol e a lua, dando ao satélite uma aparência avermelhada. Em setembro de 2015, pôde ser vista no Brasil a última combinação entre lua de sangue e superlua. 

De acordo com Daniel Bastos, outros eclipses e superluas ainda acontecerão neste ano, visíveis no Brasil. Ele indica que, quem quiser ver a combinação dos fenômenos da próxima quarta-feira, pode acompanhar em tempo real por meio do site da Nasa.

Nenhum comentário