ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Enderson lamenta desclassificação do Bahia: 'Nem sempre quem joga melhor vence'

Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia

O técnico Enderson Moreira lamentou a eliminação do Bahia diante do Liverpool, na primeira fase da Copa Sul-Americana. O Tricolor deu adeus ao torneio continental nesta quinta-feira (21), após empatar em 0 a 0 no Estádio Luis Franzini, pelo jogo de volta do confronto. Para o treinador, o time baiano foi superior à equipe uruguaia nos dois jogos.

"Não concordo em os dois mais importantes para o Bahia. Todo jogo para o Bahia é importante. Esse era importante, porque era o próximo. Assim como o do Fortaleza vai ser o mais importante. Sempre os jogos mais importantes são todos os jogos. A gente não tem a capacidade de poder entrar numa competição e para qualquer competição podendo não fazer o nosso melhor. Nós temos que vencer tudo, é a cultura do futebol brasileiro. Nós precisamos disso. Então, não tem nenhum tipo de importância maior ou menor, todos são muito importantes. A gente lamenta muito essa eliminação, porque acho que fomos melhores nos dois jogos. Futebol nem sempre quem joga melhor vence, é por isso que é tão apaixonante. A gente tem que dá mérito para uma equipe que soube marcar bem, teve humildade de jogar em casa hoje e, principalmente no segundo tempo, todo lá atrás esperando só um erro nosso. Isso faz parte. A gente criou situações tanto no jogo de hoje quanto no jogo em casa", afirmou na entrevista coletiva.

Enderson ainda disse que o time do Bahia ainda não está pronto. Segundo o comandante a equipe ainda precisa de alguns ajustes e mais entrosamento dos jogadores dentro de campo.

"O torcedor pode ficar muito chateado, mas tenho certeza absoluta que talvez seja tanto quanto a gente. Eu não vejo que um possa sentir mais do que o outro não. Você entra no vestiário, os jogadores todos estão cabisbaixos, sentidos, porque nós empenhamos. Eu tenho reconhecimento com eles. Eu falei com eles foi justamente isso. Infelizmente a gente sai de forma prematura de uma competição que é muito importante para o Bahia, mas nós fizemos o nosso melhor. Nós nos entregamos, nos dedicamos, fizemos aquilo que pode ser feito, lidando com quatro competições ao mesmo tempo. Para muita gente isso é quase impossível, mas para a gente é como se fosse trocar chip mesmo. Estamos muito chateados, muito tristes, mas temos boas competições pela frente. A gente tem uma equipe que não está pronta ainda. A gente não tem nem tempo de treinar. Temos muito pouco tempo para fazer os ajustes finos que precisamos fazer. A ideia do Bahia jogando está boa. O que está faltando é um pouco do detalhe. O detalhe é que faz toda a diferença, que é o último passe, a finalização, é a gente saber como é que o companheiro se comporta dentro de campo. Esse entrosamento e melhora do ajuste só acontece com o tempo", comentou.

O Bahia volta ao gramado no próximo domingo (24), para visitar o Fortaleza, no Castelão, pela quarta rodada da Copa do Nordeste. A bola vai rolar a partir das 19h.

Nenhum comentário