ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Lauro de Freitas reverencia artistas no dia em homenagem ao teatro, circo e fanfarra


Por: ASCOM - Prefeitura Municipal de Lauro de Freitas
Lauro de Freitas reverencia artistas no dia em homenagem ao teatro, circo e fanfarra Foto:ASCOM - Prefeitura Municipal de Lauro de Freitas


Município com uma das maiores concentrações de artistas da Bahia, Lauro de Freitas reverenciou o Dia Nacional do Circo, Dia Mundial do Teatro e Dia Nacional das Fanfarras nesta quarta-feira (27). A cidade está muito bem representada nos três segmentos, na avaliação do secretário municipal de Cultura e Turismo (SECULT) Manoel Carlos. “Seja no teatro e seus expoentes, com mais de 15 grupos ativos, festivais, paixões de Cristo, nas fanfarras com concursos e no circo com escola e grupos de palhaço”.

São três teatros devidamente equipados – Cine Teatro de Lauro de Freitas, Eliete Teles, na Itinga, e o Joaquim Nery, em Vilas do Atlântico, e mais dois em construção. No circo, o destaque são os grupos Bambolê, com quase 20 anos de atividade, e a Turma do Amendoin (Palhaços). Nas fanfarras despontam os concursos locais e bandas premiadas no interior. No ano passado Lauro de Freitas sediou o Concurso Intermunicipal de Bandas e Fanfarras, em nível estadual, um evento repleto de musicalidade.

Artes milenares

O Dia Nacional do Circo é uma homenagem ao nascimento do palhaço Piolin, que fez a alegria de milhares de crianças e adultos por mais de 50 anos. O Dia Mundial do Teatro passou a ser comemorado em 1961, com a inauguração do Teatro das Nações, em Paris. Já o Dia Nacional das Fanfarras surgiu por força do Projeto de Lei n. 6989/2013, do deputado Severino Ninho (PSB-PE). Teatro, música e circo são artes milenares e desde a antiguidade serviram como forma de expressão para divulgar a cultura dos diferentes povos.

A SECULT vem atuando com patrocínio e apoio a projetos por meio do Fundo Municipal de Cultura, do Conselho Municipal de Políticas Culturais. O Departamento de Cultura fundou a Cia Municipal de Teatro Amador formando mais de 60 jovens intérpretes na sua primeira edição.

Para Manoel carlos, secretário da pasta, “os artistas devem estar livres para exercerem as suas funções, e a Secretaria, por sua vez, tem que estar sempre atenta para entender que tipo de suporte deve ofertar à classe cultural, seja técnico e/ou estrutural.”

Segundo Tobé Velloso, teatrólogo e agente cultural da SECULT, “a fomentação dessas artes, no seu sentido mais estruturante, é um ponto de promoção para os jovens, pois proporciona encontros de pessoas que conseguem transformar o ser cidadão em ser espetacular. Isso possibilita que gerações de novos artistas, ultrapassassem barreiras para unir a tradição às novas possibilidades de criação. O resultado é o mercado da economia criativa”, ressalta.

Nenhum comentário