ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Fiscal de ônibus é espancada por policial dentro de coletivo na BR-324


Uma fiscal da empresa VSA (Viação Sol de Abrantes) foi espancada por um policial civil na manhã deste sábado (08/02), na BR-324, imediações do bairro de Águas Claras, em Salvador. O crime aconteceu por volta das 6h40, dentro do ônibus coletivo, que fazia a linha Retiro x Candeias e seguia no sentido Simões Filho, na região metropolitana.

Ao chegar no posto da Polícia Rodoviária Federal, o motorista parou o veículo e acionou os agentes. Em conversa preliminar, o homem teria confessado a agressão e com isso, foi preso em flagrante e encaminhado à 22ª Delegacia Territorial.

Em conversa com o Informe Baiano, Damares Alves, 46 anos, relatou que o acusado entrou pela frente do veículo e ela pediu a identificação, conforme a orientação da empresa. Porém, o policial ficou irritado com a mulher, que é rodoviária há 20 anos.

“Eles não gostam do fiscal, porque a gente pede identificação. Mas nosso serviço é esse. Ele colocou a carteira em cima do meu rosto. Como eu uso óculos e estava muito próximo do meu olho, eu não consegui enxergar. Achei que ele era comissário de menor e pedi o ofício, que é o procedimento. Mas ele ficou mais irritado e passou a me agredir. A minha sorte foi que tinham dois policiais militares no coletivo e eles intervieram”, relatou.

A vítima contou ainda que o agressor lhe feriu com socos no rosto, costela e cabeça. “Estou toda dolorida. Ele ainda gritava: ‘eu sou polícia, eu sou autoridade’. Ainda disse que eu quebrei o óculos dele, tudo mentira. As câmeras do ônibus filmaram tudo”, disse revoltada.

De acordo com Damares, na delegacia o agente da Polícia Civil “foi tratado com o maior amor e carinho pelos colegas, parecendo até que ele era a vítima”.

“Eu disse que gostaria da guia para fazer exame de corpo delito e me disseram que se eu fizer, ele também vai fazer. Parece que querem inverter as coisas e me intimidar. No local, eu pedi aos policiais que me salvaram pra ir na delegacia, mas eles disseram que não iriam se meter. Mas tem as câmeras e outras testemunhas. Já pedi, inclusive a empresa as filmagens e quero divulgar para toda imprensa”, reafirmou Damares.

O corpo jurídico e três diretores do Sindicato dos Rodoviários Metropolitanos acompanham a ocorrência. Ao IB, um dos dirigentes revelou que dois minutos antes do delegado chegar, o homem foi retirado da unidade por colegas em uma viatura.

“Ele saiu da delegacia na viatura, que deixou ele lá embaixo e dois minutos depois o delegado chegou. Como é que pode isso? A gente espera que o caso seja encaminhado, inclusive, para a Corregedoria”, afirmou.

Nota da Polícia Civil

O caso foi registrado na 22ª Delegacia Territorial (DT), de Simões Filho, representantes da empresa e a vítima foram ouvidos. O policial, que não estava de serviço, também foi ouvido. Os autos serão encaminhados à Corregedoria da Polícia Civil (Correpol), que dará prosseguimento com a devida instauração de processo administrativo disciplinar.

Nenhum comentário