DESTAQUE

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

Saúde ignorou três ofícios com ofertas de vacinas, diz Butantan

Foto: Divulgação/GOV-BA

Após o Ministério da Saúde acusar o Instituto Butantan de atraso na entrega de doses da CoronaVac, o diretor da entidade de pesquisa rebateu, afirmando que a pasta ignorou três ofícios enviados pelo instituto em 2020 oferecendo doses de vacina contra Covid-19. Segundo Dimas Covas, os três documentos não obtiveram resposta.

Os documentos foram encaminhado à pasta nos meses de julho, agosto e outubro do ano passado. O Butantan ofertou ao governo federal a compra de 60 milhões de doses da vacina CoronaVac para entrega ainda em 2020 e de outras 100 milhões para entrega em 2021. Depois, o instituto mandou mais dois comunicados ao ministério, em dezembro e em fevereiro, conforme detalhou Dimas Covas.

O primeiro contrato entre o governo federal e o Butantan foi assinado em janeiro e previu o fornecimento de 46 milhões de doses da CoronaVac. Na última segunda-feira (15), um novo acordo, para fornecer 54 milhões de vacinas, foi firmado. Nesta sexta (19), o ministério manifestou interesse em um terceiro acordo, para a compra de mais 30 milhões de doses. O Butantan confirmou que recebeu a nova intenção de compra do governo federal e disse que ainda está analisando a proposta, de acordo com o G1.