AGORA EM LAURO

quinta-feira, 7 de abril de 2022

Lauro de Freiras: Restaurante Popular e Cozinhas Comunitárias garantem almoço reforçado para mais de 2.300 pessoas diariamente

Imagem :Maína Diniz

Com a alta no preço dos alimentos nas prateleiras dos supermercados, provocada entre outros fatores pelo aumento da inflação que, de acordo como Instituto Brasileiro de Pesquisa e Estatística (IBGE) atingiu em 12 meses mais de 10%, maior índice dos últimos seis anos, em Lauro de Freitas o Restaurante Popular (RP) e às Cozinhas Comunitárias têm sido aliados importantes para continuar garantindo a principal refeição do dia na mesa de 2.300 pessoas que diariamente passam pelos equipamentos.

É o que acontece desde o início da pandemia do coronavírus na família Silva. Eles saem da Lagoa dos Patos todos os dias às 10h30 para chegar no Restaurante Popular às 11h, horário que inicia a distribuição das refeições seguindo até às 14h. Além de Sumira Silva, com 87 anos, a filha dela Margaret Silva e o marido Hélio Carneiro almoçam diariamente no equipamento. "Isso aqui é uma maravilha que nos auxilia na redução das despesas com alimentação e também com o gás de cozinha que está muito caro", disse Margaret.

Ela conta que almoçar no RP tem outras vantagens como se alimentar bem, com oferta de nutrientes variados, além de suco natural da fruta e sobremesa. "Do jeito como estão caros os alimentos se eu fosse fazer uma comida dessas em casa não sairia por menos de 70,00 o gasto total, enquanto que aqui toda família comeu por apenas 6,00", falou.


A mesma economia é refletida no bolso do rodoviário Francisco Nascimento, 52 anos. O profissional tem que estar em Paripe, bairro de Salvador, às 14h para iniciar a jornada de serviço, mas antes se alimenta no RP e com o dinheiro que sobra ainda garante outras refeições no dia. "Com o dinheiro que recebo para almoço na empresa, se eu fosse comer aí fora, só daria para uma quentinha. Comendo aqui consigo economizar e o que sobra ainda dá para o lanche e cafezinho', falou.

Os protocolos de segurança contra covid-19 continuam mantidos. Todos que entram nos equipamentos precisam lavar as mãos com água e sabão e mostrar que está em dia com a vacina contra a doença com a apresentação do cartão de vacinação. O distanciamento ainda está valendo e cada mesa tem divisórias que separam individualmente os comensais.

Tanto no RP quanto na Cozinha Comunitária o valor do almoço é simbólico, apenas 2 reais. Nos pratos caprichados são servidos o tradicional arroz com feijão, salada, proteína e macarrão. O suco e a sobremesa completam a refeição. Nas Cozinhas Comunitárias, localizada uma na Itinga e outra em Portão, além do almoço também é servido café da manhã com frutas e raízes por apenas um real. Os equipamentos e mais o Banco de Alimentos no Centro, integram o sistema de segurança alimentar e nutricional no município.