AGORA EM LAURO

quarta-feira, 4 de janeiro de 2023

Banhos de praia e piscina elevam casos de otite no verão

 Problema auditivo pode aumentar cerca de 70%, segundo otorrinolaringologista

O otorrinolaringologista André Apenburg alerta para o aumento de casos de otite no verão


Sinônimo de diversão para os brasileiros de forma geral, o verão também é uma estação que requer cautela quando o assunto é saúde, pois muita gente recorre às praias e piscinas para se refrescar por conta das altas temperaturas. O otorrinolaringologista André Apenburg, da Otorrino Center, empresa que integra o Grupo H+Brasil, uma das maiores holdings de saúde do país na área de multiespecialidades, alerta para os problemas auditivos que podem ser desencadeados por estas práticas, quando não realizadas de forma cuidadosa. “Os casos de inflamação ou infecção no ouvido (otites) aumentam em cerca de 70% nesta época do ano”, explica.

Segundo ele, “o contato frequente e prolongado do ouvido com a água pode gerar pequenas lesões na pele que reveste o conduto auditivo, removendo a cera, que é a proteção natural contra a ação de bactérias e fungos. “Sem ela, o ambiente fica propício à proliferação desses micro-organismos, gerando um desconforto ao paciente, como dor, diminuição da audição, zumbido, sensação de pressão e água no ouvido, dentre outros”, detalha o especialista.

O otorrinolaringologista André Apenburg ainda explica que os tipos mais comuns de otites são a externa, causada na maioria das vezes pelo contato excessivo com água de praia e piscina, afetando principalmente crianças e bebês, e a média, que atinge o ouvido de forma mais profunda, afetando a região do tímpano até os ossos que fazem parte do ouvido.

O diagnóstico da otite é feito somente por um otorrinolaringologista, profissional indicado também para recomendar o melhor tratamento que, na maioria das vezes, é realizado com o uso de antibióticos e antifúngicos, os quais são aplicados diretamente no ouvido e que dependem do tipo de otite da pessoa.

Para o otorrinolaringologista André Apenburg, o paciente não deve se aventurar na automedicação e lista algumas dicas para evitar o problema.

- Não nadar nem mergulhar em águas poluídas.

- Fazer uso de protetor auricular ou tampão de ouvido para impedir a entrada de água no ouvido.

- Evitar movimentos muito bruscos durante o mergulho.

- Utilizar toalha limpa e seca nos ouvidos após nadar, mergulhar e até mesmo durante o banho.

- Não introduzir cotonetes, grampos ou outros objetos no canal externo do ouvido.

- Procurar auxílio médico para a orientação sobre a melhor forma de tratamento e investigação de qualquer persistência de sintomas desconfortáveis.

Otorrino Center

Na Otorrino Center são oferecidas diversas modalidades de cirurgias: ouvido (estapedotomia), correção das orelhas de abano (otoplastia), implantação de tubo de ventilação, endoscópica nasal, plástica de nariz (rinoplastia), amígdalas e adenóides, cabeça e pescoço, além de crânio-maxilo-facial. Há também tratamentos especializados para otites, perda auditiva, tontura, zumbido, timpanoplastia, sinusite, desvio de septo, nariz entupido, rinite, sangramento nasal, dor de garganta, engasgos, rouquidão, refluxo, apneia do sono, ronco em adultos, crianças e bebês, e tumores de cabeça e pescoço, por exemplo. Dentre as especialidades médicas em que atua, estão a Otorrinolaringologia infantil e adulta, Otologia e Otoneurologia (parte externa e interna do ouvido), Rinologia (problemas nasais), Laringologia (laringe), Estomatologia (lesões bucais) e Medicina do Sono.

Grupo H+Brasil

O Grupo H+Brasil tem seis anos de existência e soma 12 milhões de atendimentos em diferentes regiões do país. São 30 marcas, 89 unidades de atendimento, 3000 colaboradores e 1500 médicos especialistas. Além da referência em Oftalmologia com o Grupo Opty, maior grupo da América Latina, o H+Brasil tem focado suas ações em Ortopedia (Ortocity e Instituto Osmar de Oliveira), em Urologia (Urobrasil), e agora em Otorrinolaringologia (Otorrino Center), para reforçar o compromisso com a qualidade e a segurança no cuidado dos pacientes.